Análise da final do CBLOL 2019 - 2ª Split

13 minuto(s) de leitura

Introdução

Na semana passada ocorreu a final do CBLOL 2019 - 2ª split. INTZ e Flamengo nos entregaram uma série muito disputada e que desta vez o time carioca devolveu a derrota sofrida no primeiro split e conquistou o seu primeiro CBLOL. Como torcedor da INTZ, obviamente, fiquei triste com o resultado, mas o time desempenhou bem e espero que mantenham a line-up para o próximo split.

Antes da final, para conhecer um pouco melhor sobre os finalistas, INTZ e Flamengo, eu realizei uma análise exploratória dos dados que se você não viu, sugiro dar uma olhada antes de continuar. A ideia deste post é analisar somente os dados da final e realizar algumas comparações com a análise anterior. Além disso, eu apresento alguns gráficos extras que não foram feitos na última análise, como o dano dos jogadores ao longo dos jogos. Então, sem mais delongas, vamos começar!

Números gerais da final

Tempo de partida, vitórias e derrotas

Na análise dos dados pré-final em relação a tempo de partida, vitórias e derrotas, de maneira geral, tivemos três conclusões principais: o Flamengo vencia os jogos mais rápidos do que a INTZ, perdia mais devagar e a INTZ teve problemas para vencer jogos no lado vermelho ao longo do split. Será que isso se repetiu na final? Na tabela a seguir temos a resposta:

Time V. Vermelho V. Azul Tempo médio vitória Tempo médio derrota
INTZ 2 0 31 min 29 min
FLA 1 2 29 min 31 min

As primeiras duas conclusões se mantiveram. As partidas da INTZ duraram em torno de 2 min a mais do que as do FLA nas vitórias e a menos nas derrotas. Em relação aos lados, uma surpresa. A INTZ só venceu do lado vermelho, o seu lado que aparentava ser mais fraco ao longo do split. Obviamente isso depende muito do meta e precisariamos de mais dados para entender mais a fundo, mas o fato é que nesta final o lado vermelho teve 3 vitorias e o azul 2.

Picks e bans

Seguindo a mesma sequência da análise dos dados pré-final, vamos falar um pouco dos picks e bans. Para começar, apresento os gráficos com a frequência dos picks e bans de cada equipe:

Figura 1: Frequência de picks e bans por campeão da INTZ durante os 5 jogos da final
Figura 2: Frequência de picks e bans por campeão do Flamengo durante os 5 jogos da final

Como podemos ver pelos gráficos, houve algumas surpresas, como Urgot, Heimer e Rumble. Porém, de maneira geral, os times não fugiram muito do que fizeram ao longo do split. Como previsto, o Flamengo focou os bans principalmente no Skarner e Gragas. Este último, ficou aberto no primeiro jogo, e como já apontávemos na última análise, foi o campeão mais utilizado pelo Shini. Já INTZ focou seus bans na Akali e Yuumi. A Sejuani, campeã predileta do Shrimp, foi banida apenas em 2 jogos.

Agora falando sobre as surpresas, podemos dizer que foi muito supreendente os picks de Urgot, Gangplank, Heimer e Rumble. Nenhum dos jogadores, no caso, Tay, MicaO e Goku, utilizaram estes campeões durante o split. O Urgot deu tão certo, que puxou 3 bans ao longo da série do lado do Flamengo. Por sua vez, Heimer e Rumble, não tiveram muito impacto nos jogos.

Por outro lado, podemos listar como surpreendente a Irelia nas mãos do Robô. Este era um pick frequente para o FLA mas no mid, não no top. Além disso, o pick foi o ponto de virada na série. O desempenho do jogador com a campeã foi excelente, o que impulsionou as duas vitórias necessárias para que o Flamengo conquistasse o campeonato.

Por fim, também podemos mencionar o Sylas do Envy e a Syndra do Goku. Ambos os jogadores pickaram os campeões apenas uma vez ao longo da temporada e os utilizaram na final. De maneira geral, ambos os picks funcionaram, uma vez que no primeiro jogo o Sylas ficou extremamente forte e no segundo a Syndra foi a responsável pela jogada que decidiu a partida.

Controle de objetivos

Para mostrar como a série foi disputada, a tabela a seguir descreve os principais objetivos ao longo das partidas:

  INTZ     FLA  
Objetivo Total Média   Total Média
Barão 4 0.8   4 0.8
Dragão 10 2.0   9 1.8
Arauto 1 0.2   4 0.8
Torre 27 5.4   32 6.4
Inibidor 5 1.0   5 1.0

Diferentemente da fase regular, na qual o Flamengo levou vantagem neste quesito (veja os dados no post anterior), nesta série os números foram bem próximos, com apenas o Arauto destoando para o lado do Flamengo.

Além disso, outro dado interessante que vai ao encontro da última análise, nos 5 jogos da série, quem fez o barão, ganhou o jogo. Não tivemos nenhum comeback, o que seria algo legal para uma final.

Estatísticas relacionadas aos jogadores

Seguindo o mesmo roteiro, vamos analisar o impacto geral de cada jogador considerando os 5 jogos da série.

Dano causado por ouro obtido

Primeiro, vamos conferir o scatter plot dos jogadores em relação ao ouro obtido e o dano total causado na partida. Isso mostra o quanto o jogador consegue converter o ouro que é alocado nele em dano no jogo.

Figura 3: Scatter plot do ouro obtido pelo total de dano causado pelos jogadores ao longo dos 5 jogos da série.

Através deste último gráfico, podemos ver o quão impactante o Robo foi na série. Ele está com média de quase 25k de dano a mais do segundo colocado, no caso, o Tay. Vale a pena mencionar que com menos ouro, Tay foi o segundo a dar mais dano, seguido por brTT e Envy. Por outro lado, MicaO obteve um resultado pior do que sua média durante a fase regular. Observando os números do jogador, o pior jogo em relação a dano foi o de Ezreal, justamente o 5ª jogo. Neste jogo, MicaO efetuou 91k de dano total e 8.1k de dano a campeões. Nos outros 4 jogos anteriores, sua média era de 154.6k e 14.4k, respectivamente. Por falar em dano a campeões, vamos dar uma olhada no scatter plot do ouro x dano a campeões:

Figura 4: Scatter plot do ouro obtido pelo total de dano causado causado a campeões pelos jogadores ao longo dos 5 jogos da série.

Em relação a dano a campeões, Envy e brTT foram os que mais causaram dano, seguidos por MicaO, Robo e Tay. Para ajudar ainda mais nesta análise, a seguir é apresentado o ranking dos jogadores em relação a razão ouro/dano total e ouro/dano a campeões. A razão mostra o quão boa foi a conversão do ouro em dano. Neste caso, quanto maior o valor, melhor.

Figura 5: ranking da razão ouro/dano total e da razão ouro/dano a campeões

De maneira geral, em relação aos dados de ouro x dano, podemos destacar três pontos principais:

  1. Apesar do 5ª jogo fraco, MicaO manteve sua característica de converter bastante dano a campeões com um pouco menos recurso do que os demais carregadores. Por outro lado, o mesmo não se refletiu no dano total.
  2. A diferença de desempenho entre os mid laners ao longo da série. Tanto no gráfico de ouro x dano total quanto neste último, podemos observar que o Envy teve muito mais impacto na série do que o Goku. Porém, Goku recebeu muito menos recurso, o que é refletido nos rankings da Figura 5.
  3. O surpreendente desempenho negativo do Shrimp que causou quase a mesma quantidade de dano a campeões do que o Luci mas com muito mais recurso disponível. Comparando ele com Shini, podemos observar o quão distante ele ficou do caçador adversário. A título de comparação, nesta série, sua média de dano a campeões foi de 5.6k e ao longo do split a média foi 10.6k, quase que o dobro! Isso é refletido no ranking da razão ouro/dano a campeões, na qual Shrimp ficou em último.

Com intuito de ver a evolução dos danos totais e a campeões ao longo das 5 partidas, é apresentado o gráfico dos danos de todos os jogadores por partida:

Figura 6: dano total causado pelos jogadores ao longo das 5 partidas
Figura 7: dano a campeões causado pelos jogadores ao longo das 5 partidas

De maneira geral, podemos observar que em relação ao dano total o Robo se manteve bem em todos jogos, mesmo os que o time perdeu. De maneira oposta, no gráfico de dano a campeões, Shrimp está sempre muito próximo da curva dos suportes, o que não é muito bom para uma role que pega recurso como a dele. Por fim, existe uma tendência de queda da INTZ ao longo dos jogos. Destaque para como o MicaO foi caindo no dano total e o Shini despencou no dano a campeões na última partida.

Divisão de recurso e dano

Em relação a divisão em % de recurso e dano, a final apresentou os seguintes números:

Jogador % ouro % dano total % dano a campeões
ITZ Tay 21.94 26.64 24.21
ITZ Shini 18.89 22.71 17.11
ITZ Envy 24.05 24.98 25.52
ITZ micaO 21.69 21.11 24.65
ITZ RedBert 13.41 4.51 8.47
       
FLA Robo 24.82 29.64 27.11
FLA Shrimp 18.31 20.13 11.59
FLA Goku 19.18 20.02 22.22
FLA brTT 23.76 25.76 28.17
FLA Luci 13.90 4.45 10.88

Em comparação com os mesmos dados dos dados pré-final, podemos detacar em ambas as equipes:

  • Tay manteve sua % de ouro mas aumentou em cerca de 4% seu dano total e 3% o dano a campeões
  • Envy aumentou sua % de auro em cerca de 3%, o que refletiu na mesma quatia no dano a campeões
  • MicaO obteve cerca de -3% de ouro o que refletiu em -4% de dano total e a campeões
  • Robo obteve cerca de 2.5% de ouro a mais, causou +6% de dano total e +2% em campeões
  • Goku perdeu cerca de 2% de ouro, causo -2.5% de dano total e -1.5% de dano a campeões
  • Shrimp obteve cerca de 1% a menos de ouro, -1% de dano total e cerca de -6% de dano a campeões

Esses números mostram que Robô e o Tay foram os que mais cresceram de produção na final. Por fim, o ranking de KDA (ou AMA, como preferir) dos jogadores é apresentado na sequência:

Figura 6: ranking do KDA dos jogadores considerando os 5 jogos da série

Primeiramente, o gráfico é muito afetado pela performance do primeiro jogo da INTZ, que terminou 26 a 6 em abates para os intrépidos. De qualquer forma, é interessante ver que mesmo com todo impacto na série, Robo teve o menor KDA dentre todos os jogadores. Isso mostra que nem sempre o KDA é o mais importante.

Considerações finais

A final do CBLOL 2019 entregou uma série emocionante de 5 jogos. De acordo com os dados, tivemos uma série disputada, principalmente nos 3 primeiros jogos. Nos 2 últimos, o Flamengo conseguiu dominar um pouco mais a partida, como sugere os gráficos apresentados. Em relação aos jogadores,gostaria de destacar o papel dos top laners nesta final. Obviamente, Robo foi o grande destaque, de acordo com os dados apresentados. Porém, Tay também teve um desempenho destacável, tendo um pico de dano no jogo 2 da final. Além disso, mesmo perdendo, Envy teve um desempenho superior ao Goku. E mesmo ganhando, Shrimp ficou atrás do Shini, exceto no último jogo, na qual Shini não apresentou uma boa performance.

Por fim, devemos destacar que o melhor time venceu a série. Agora é torcer para que o Flamengo represente bem a região no mundial. Mas para isso, o mid e o jungler precisam melhorar seus números.

Obrigado a você que leu esta análise e espero realizar mais uma antes do prêmio CBLOL para identificar os melhores jogadores por role e rankear-los de acordo com os seus números. Até a próxima!

Deixe um comentário